Loading...

Tudo que tenho custou O meu suor derramado.

(Plagiando Zé Limeira, o Poeta do Absurdo)

O presidente mineiro
Marechal Fuloriano
Teve um caso c’ um cigano
Quando era escoteiro;
Saddan no Rio de Janeiro
Foi preso e foi condenado
Ficou da cor dum finado
Fugiu mas não escapou
Tudo que tenho custou
O meu suor derramado.

Lula foi o inventor
Do famoso avião
Maluf fez o balão
E o disco voador;
Antes de ser nadador
Pelé foi peso-pesado
E Renan foi afastado
Do senado de Moscou
Tudo que tenho custou
O meu suor derramado.

A capital do Iraque
Inda hoje é Salvador
E é o maior produtor
De bomba, mijão e traque;
Quando Zelão era craque
Do são Paulo rebaixado
O papa era condenado
Pelo tiro que levou
Tudo que tenho custou
O meu suor derramado.

Mote: Petrônio
Glosas: Léo Medeiros
Sobral, 05/10/2007
Poemas e Poesias 7226637847644494406

Postar um comentário

emo-but-icon

Página inicial item

O Donzelo Azarado

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *