Loading...

O meu coração não pode Alojar dois corações

Menina faço um apelo.
Tenha a sensibilidade
De reparar minha idade
E a cor do meu cabelo
Para evitar atropelo
Ou futuras confusões
Não alimente as paixões
Que com certeza “dá bode”.
O meu coração não pode
Alojar dois corações.

Nas asas da poesia
Sou eterno viajante
Como vate sou amante
Do que minha mente cria
Mas já tenho companhia
Há mais de vinte verões
Nas maiores provações
É ela quem me acode.
O meu coração não pode
Alojar dois corações.

Sou pela minha vivência
Indicado a dar conselho
Meu confidente? O espelho
Refletindo a aparência.
Tenho a plena consciência
Que minhas aptidões
São somente as orações
Que faço em forma de ode.
O meu coração não pode
Alojar dois corações.

Autor: Wellington Vicente.
Porto Velho, 15/09/2008.

Poemas e Poesias 3051717047622744670

Postar um comentário

  1. Que lindo!!!
    Gostei desse "cabra-personagem".. rsrs

    Danielle Damasceno
    http://colunareta.natalnetwork.com.br

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Página inicial item

O Donzelo Azarado

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *